003.jpg
http://gruposegeti.com.br/components/com_gk3_photoslide/thumbs_big/947435Fiscontal.jpglink
http://gruposegeti.com.br/components/com_gk3_photoslide/thumbs_big/467488837198002.jpglink
http://gruposegeti.com.br/components/com_gk3_photoslide/thumbs_big/146270Segeti_Silva.jpglink
http://gruposegeti.com.br/components/com_gk3_photoslide/thumbs_big/990153Sem_t__tulo_1.jpglink
http://gruposegeti.com.br/components/com_gk3_photoslide/thumbs_big/900985ARQFISCO.jpglink
Fiscontal The accounting as a source of resistance to the economic crisis SS Tap Arq Fisco


Supermercados começam limitar vendas de produtos. PDF Imprimir E-mail
Quinta, 24 de Maio de 2018 17:55

A medida é preventiva e visa evitar o desabastecimento completo.

Com medo de ficar sem alimentos na despensa de casa, a população do Grande Recife correu para os supermercados nesta quinta-feira. Mas para surpresa, algumas lojas já começaram a limitar o número de produtos a venda para cada cliente. No Carrefour, localizado no bairro da Torre, uma placa dá o aviso já na entrada do salão. "Atenção clientes, devido à greve dos caminhoneiros e para que todos os nossos clientes consigam aproveitar nossos preços e ofertas, estamos limitando a venda a no máximo cinco unidades de cada item por compra. Contamos com a sua compreensão. Muito obrigado".


Em nota oficial, encaminhada à redação do Diário, a rede Carrefour informa que a medida foi tomada para atender o maior número de clientes. A empresa assegura que o abastecimento segue sem muitos problemas em suas lojas em função dos volumes de estoque. A rede diz ainda que está acompanhando atentamente os movimentos dos caminhoneiros e a negociação com o Governo. A empresa informou também que já está em contato com fornecedores locais para continuar garantindo o abastecimento.



A Associação Pernambucana de Supermercados (Apes) divulgou nota informando que os supermercados estão abastecidos para até o final desta semana. No momento o reflexo da falta de produtos é apenas no setor de hortifrúti, porque os produtos não estão chegando nas lojas e como são mais perecíveis, não é possível estocagem. A Apes informa, ainda, que se a paralisação dos caminhoneiros continuar, a partir da próxima semana o reflexo nos supermercados já vai ser percebido em outras categorias de produtos.

 

A Associação Brasileira de Supermercados (Abras) também divulgou nota informando que está acompanhando atentamente o protesto nacional dos caminhoneiros contra o aumento do preço do diesel. Mesmo com o esforço do setor de supermercados para garantir o perfeito abastecimento da população brasileira, identificamos que alguns estados já começaram a sofrer com o desabastecimento de alimentos, e que isso poderá se estender para todo o Brasil nos próximos dias, se algo não for feito.

 

A Abras está buscando sensibilizar o governo federal para que uma solução seja tomada imediatamente. Evitando, assim, que a população sofra com a falta de produtos de necessidades básicas e com uma eventual elevação nos preços. 


A assessoria de Comunicação da Abras informou ainda que os supermercados possuem um estoque médio de produtos não perecíveis, e por enquanto, com relação a esses produtos ainda não há problemas. A preocupação, no momento, está mais nos produtos perecíveis. A entidade, no entanto, não divulgou expectativa de perdas e prejuízos. 

 

Fonte: Diário de Pernambuco

Publicado em: 24/05/2018 14:25 Atualizado em: 24/05/2018 14:43


 

 
   

Grupo Segeti - R. Doutor Olavo Egídio, 812 - Santana - São Paulo / SP - Telefone: (11) 2971-5500 | Design e Otimização por Barutti.com.br