003.jpg
http://gruposegeti.com.br/components/com_gk3_photoslide/thumbs_big/947435Fiscontal.jpglink
http://gruposegeti.com.br/components/com_gk3_photoslide/thumbs_big/467488837198002.jpglink
http://gruposegeti.com.br/components/com_gk3_photoslide/thumbs_big/146270Segeti_Silva.jpglink
http://gruposegeti.com.br/components/com_gk3_photoslide/thumbs_big/990153Sem_t__tulo_1.jpglink
http://gruposegeti.com.br/components/com_gk3_photoslide/thumbs_big/900985ARQFISCO.jpglink
Fiscontal The accounting as a source of resistance to the economic crisis SS Tap Arq Fisco


Como saber se um potencial chefe pode se tornar um pesadelo PDF Imprimir E-mail

Por O Globo

Segundo especialistas, a melhor forma de reconhecer o temperamento do futuro patrão é observar as reações de seus funcionários

RIO — Quando um amigo disse a Jessica Dean que uma nova empresa com grande potencial estava buscando um diretor de desenvolvimento de negócios, ela logo enviou seu currículo. A empresa, com sede em Nova York, oferecia um novo aplicativo para telefones móveis que parecia inovadora. Infelizmente, a falta de profissionalismo do proprietário durante o processo de seleção chamou a atenção: fez promessas desproporcionais sobre os planos da empresa, usou uma linguagem grosseira e exagerou em suas qualificações.

Dean acabou aceitando o trabalho porque seu amigo assegurou que o dono da empresa, a quem conhecia, seria um bom chefe. Mas, como mostra reportagem do Wall Street Journal, os problemas começaram de imediato. O patrão não confiava nela, e deixava mensagens de voz a altas horas da noite perguntando se havia concluído os projetos. Jessica acabou pedindo demissão após seis meses de empresa.

A experiência fez com que Jessica passasse a observar determinadas qualidades ao participar de uma entrevista de emprego:“Se alguém é muito casual, isso sugere algo sobre como dirige sua empresa. O meu chefe atual é justamente o contrário: é muito profissional em sua aparência e na forma de se comunicar”, acrescenta Jessica, que hoje trabalha na empresa Spuni.com., que fabrica produtos para bebês.

Em artigo publicado no site do jornal americano, o especialista em carreira Dennis Nishi afirma que uma das melhores formas de detectar o quão bom é o chefe é observando as pessoas que trabalham com ele. Segundo Nishi, maus chefes são uma das principais causas de descontentamento e reclamações trabalhistas, segundo pesquisa recente do Instituto Gallup, mas poucas pessoas que estão em busca de um novo emprego se preocupam em pesquisar sobre seus futuros patrões antes de aceitar uma oferta de emprego. Uma das razões, dizem os especialistas, é que quem busca um trabalho não quer correr o risco de parecer desafiador durante as entrevistas.

Porém, há outras maneiras de identificá-los, afirma Nishi.Para começar, averigue através de redes profissionais todas as informações possíveis sobre a empresa, o departamento e seu futuro chefe. Para quem está nos Estados Unidos, pode fazer uso de sites como o Glassdoor.com ou buscar blogueiros com experiência em empresas nas quais está interessado.

Além disso, pode utilizar a função de busca avançada do LinkedIn para encontrar ex-funcionários de outras empresas e ver as referências.Gary Namie, fundador do Workplace Bullying Institute, um grupo de defesa dos trabalhadores com sede em Bellingham, estado de Washington, aconselha que o candidato verifique há quanto tempo a vaga está disponível e por qual motivo. “A oferta de emprego está disponível há muito tempo? Pelo menos 10 empregados passaram pelo cargo em um curto espaço de tempo? Esses são sinais de advertência que indicam que você deve prestar mais atenção e pesquisar mais”, diz Namie.

Já Lynn Taylor, especialista em assuntos trabalhistas da Califórnia, aconselha que se faça perguntas sobre o estilo de gestão e a cultura da empresa; veja quem se inclina a trabalhar na equipe deste gestor e se ele é daqueles que costuma dar crédito ao demais:“Ele é um aqueles que diz ‘eu fiz isso’, em vez de ‘nós’ ou ‘a equipe’?”, questiona Taylor, completando que o ideal é um chefe que tenha em mente o melhor para você, seus colegas e a empresa.De acordo com a psicóloga Noelle Nelson, de Los Angeles, alguns dos piores chefes são narcisistas, egocêntricos e manipuladores, mas capazes de ser encantadores quando necessário.

E a maioria dos gestores seguramente terá um desempenho exemplar durante uma entrevista, por exemplo. Por isso, esteja atento a falhas de comportamento, principalmente quando este se comunicar com seus funcionários. Certa vez, Noelle trabalhou com um cliente que foi entrevistado pelo sócio-gerente de uma empresa de advogados. O cliente se deu conta de que a secretária parecia intimidada pelo chefe e não fazia contato visual.

Mais tarde, soube que o chefe tinha temperamento forte e gritava com todo mundo no escritório.Segundo ela, uma das melhores formas de detectar o temperamento do chefe é observar as pessoas que trabalham com ele: os empregados costumam sorrir e fazem contato visual? É possível sentir uma energia otimista ou um quê de ansiedade?

“Um péssimo chefe pode representar uma carga física, mental e emocional que afeta o comportamento e as interações dos empregados”, diz a psicóloga, lembrando que os trabalhadores desanimados são também os mais propensos a se queixarem de seus patrões de forma anônima.

Fonte: O Globo

 

 
   

Grupo Segeti - R. Doutor Olavo Egídio, 812 - Santana - São Paulo / SP - Telefone: (11) 2971-5500 | Design e Otimização por Barutti.com.br