arte - curta nossa pgina.jpg
http://gruposegeti.com.br/components/com_gk3_photoslide/thumbs_big/947435Fiscontal.jpglink
http://gruposegeti.com.br/components/com_gk3_photoslide/thumbs_big/467488837198002.jpglink
http://gruposegeti.com.br/components/com_gk3_photoslide/thumbs_big/146270Segeti_Silva.jpglink
http://gruposegeti.com.br/components/com_gk3_photoslide/thumbs_big/990153Sem_t__tulo_1.jpglink
http://gruposegeti.com.br/components/com_gk3_photoslide/thumbs_big/900985ARQFISCO.jpglink
Fiscontal The accounting as a source of resistance to the economic crisis SS Tap Arq Fisco


Você sabe como otimizar da mão de obra dos colaboradores? PDF Imprimir E-mail
Quinta, 25 de Setembro de 2014 11:40

Você sabe como otimizar da mão de obra dos colaboradores?

Obtenha maior rendimento da mão de obra, mas para isto é necessário a comparação e fazer algumas contas. Verifique quais são os clientes que exigem mais tempo e descubra os reais motivos.

Nas empresas prestadoras de serviços o custo com a mão de obra é, geralmente, aquele que mais representa em relação ao faturamento. Segundo a Pesquisa Nacional da Empresas Contábeis (PNEC) é de 45,23%, sem considerar o pró-labore dos sócios.

Índice tão expressivo naturalmente que exige muita atenção dos gestores, pois ações acertadas gerarão custos menores e contribuirá para a penetração no mercado ou obter maior lucratividade.

Para saber como a empresa está posicionada em relação aos custos com a mão de obra primeiramente deve-se totalizar todos os custos diretos com a mão de obra dos colaboradores (salários, benefícios, encargos sociais e trabalhistas etc.) e dividir pelo faturamento bruto e depois comparar com as pesquisas disponíveis.

A outra conta importante a ser feita é o balanceamento da mão de obra, ou seja, conhecer as horas disponíveis que a empresa possui para vender e aquelas efetivamente vendidas. De posse dessas informações é possível fazer o balanceamento e saber se há ociosidade ou excedente de horas vendidas.

Para conhecer o tempo disponível calcule as horas média que cada colaborador consegue efetivamente produzir. Por exemplo: a empresa que possui 10 colaboradores e apurou-se que cada um produz 140 horas por mês, então terá 1.400 horas para vender mensalmente.

Agora só falta descobrir quantas horas a empresa já tem vendida e para fazer esta conta, de uma forma bastante rápida, tome o faturamento mensal e dívida pelo preço de venda da hora trabalhada. (Se ainda não calculou a valor da hora sugiro que acessewww.gilmarduarte.com.br/2014/02/voce-conhece-o-preco-da-hora-trabalhada.html). Imagine que a empresa prestadora de serviços decontabilidade possui o faturamento mensal de R$ 70 mil com base nos contratos (honorários fixos), e que o valor da hora vendida é de R$ 60,00. Então dívida R$ 70.000,00 por R$ 60,00 e encontrará 1.167, que é o número de horas vendidas.

Ao deduzir as horas vendidas (1.167) das horas disponíveis (1.400) encontra-se a diferença de 233 horas, ou seja, 17%. As 233 horas podem ter a seguinte interpretadas como:

Ociosidade – há tempo disponível e poderá ser ocupada com a contratação de novos clientes;

Serviços acessórios – existe o tempo disponível, mas é ocupado com serviços acessórios aos próprios clientes, tais como, alteração contratual, elaboração de contratos, consultoria etc. Estes serviços são faturados aos clientes e normalmente o valor da hora é maior.

Ocupação desordenada do tempo – as tarefas são mal planejadas e acompanhadas e passam a exigir muito tempo para desenvolve-las.

Tempo excessivo para alguns clientes – alguns clientes exigem muito tempo para executar todas as tarefas contratadas e portanto sugere a renegociação do honorário (vender mais horas).

A partir do balanceamento deve buscar a redução máxima do tempo aplicado para executar cada tarefa e assim obter maior lucratividade ou preços mais competitivos.

Autor: Gilmar Duarte da Silva

Fonte: Administradores.com

 

 
   

Grupo Segeti - R. Doutor Olavo Egídio, 812 - Santana - São Paulo / SP - Telefone: (11) 2971-5500 | Design e Otimização por Barutti.com.br