003.jpg
http://gruposegeti.com.br/components/com_gk3_photoslide/thumbs_big/947435Fiscontal.jpglink
http://gruposegeti.com.br/components/com_gk3_photoslide/thumbs_big/467488837198002.jpglink
http://gruposegeti.com.br/components/com_gk3_photoslide/thumbs_big/146270Segeti_Silva.jpglink
http://gruposegeti.com.br/components/com_gk3_photoslide/thumbs_big/990153Sem_t__tulo_1.jpglink
http://gruposegeti.com.br/components/com_gk3_photoslide/thumbs_big/900985ARQFISCO.jpglink
Fiscontal The accounting as a source of resistance to the economic crisis SS Tap Arq Fisco


Seriedade divertida PDF Imprimir E-mail
Terça, 28 de Outubro de 2014 09:21

Seriedade divertida 

Pedro vai ao psiquiatra e desabafa:

 

– Doutor, eu estou com 45 anos e tenho refletido muito sobre a possibilidade de me casar e constituir família, e por causa disso não consigo dormir.

 

Toda vez que eu pego no sono, sonho que a mulher da minha vida está debaixo da cama. Aí eu acordo e corro pra debaixo dela e não encontro ninguém. Então eu durmo ali mesmo, e sonho que a mulher da minha vida está em cima da cama. Eu corro então pra lá, mas não a encontro. E assim fico a noite inteira, pra baixo, pra cima, pra baixo, pra cima. Eu estou ficando maluco com isso! O senhor pode me ajudar?

 

– Pedro, seu caso não é tão grave, contudo será necessário pelo menos um ano de tratamento, com frequência de três vezes por semana – respondeu o psiquiatra.

– Sério? E quanto custa cada sessão?

– Cada sessão custa R$ 200.

– Bem, preciso fazer umas contas pra ver se consigo encaixar esta despesa no meu orçamento – concluiu Pedro, deixando o consultório um tanto desanimado.

 

 

Alguns meses depois, coincidentemente, Pedro esbarra com o psiquiatra no supermercado, que o reconhece e pergunta:

 

– Olá Pedro, como vai? Por que você não me procurou mais?

– Ah Doutor, meu orçamento não comportava o valor do tratamento, e por acaso, comentei a situação com um amigo que resolveu o problema por apenas R$ 50.

– Nossa! É mesmo? E o que ele fez?

– Ele foi até minha casa e cortou os pés da cama!

 

Um líder bem-humorado e um clima mais alegre e menos sisudo ajudam a deixar o ambiente menos tenso, deixam as pessoas mais leves e felizes, integram a equipe, facilitam as relações, diminuem resistências, permitem a manifestação de novas ideias, e contribuem para aumentar a produtividade, o desempenho da equipe e, consequentemente, melhoram os resultados.

 

De fato, um ambiente de trabalho pode ser ao mesmo tempo, sério e divertido; sério para lidar com as demandas e entrega de resultados, e divertido e bem-humorado no caminho para chegar a estes resultados. Uma coisa não invalida a outra. A realidade é que passamos boa parte de nossa vida no trabalho, e trabalhar num lugar onde não existe qualquer nível diversão e bom humor, torna a vida muito chata!

 

É por isso que o bom humor está entre as principais competências dos profissionais de sucesso, porque revela um elevado nível de Inteligência Emocional que, por sua vez, segundo pesquisas da Case Western University, responde por aproximadamente 80% das competências de um líder.

 

Um artigo recente na Revista Forbes, sobre a importância do humor no trabalho, mostra que 91% dos executivos acreditam que o bom humor é importante para o avanço na carreira, assim como 84% acreditam que pessoas com senso de humor são melhores nos seus trabalhos. Este artigo também destaca que as características mais desejáveis nos líderes atualmente são integridade, ética e senso de humor.

 

Se isso não bastasse, o bom humor ainda ajuda a melhorar a sua saúde. O riso estimula a produção de endorfinas, analgésicos naturais do corpo e agentes da sensação de bem-estar que ajudam a aliviar o estresse e a curar doenças. O bom humor fortalece o sistema imunológico, reduz o risco de ataque cardíaco, e ajuda a prolongar a vida, além de ajudar a melhorar também a vida das pessoas ao nosso redor. Você sabia que uma boa risada pode chegar a queimar até 3,5 calorias?

 

Mas mesmo com todos estes benefícios, algo interessante acontece durante o amadurecimento do ser humano: uma criança em idade pré-escolar ri ou sorri cerca de 400 vezes por dia. Um adulto com idade média de 35 anos de idade sorri em média, 15 vezes por dia! Talvez este tenha sido um dos motivos que levou Jesus a dizer: “…Se vocês não mudarem de vida e não ficarem iguais às crianças, nunca entrarão no Reino do Céu” (Mateus 18:3).

 

Mas e você? Como anda o seu nível de humor na vida e no trabalho? A diversão faz parte do seu ambiente organizacional, ou você acha que diversão significa falta de seriedade?

Autor: Marcos Fabossi 

Fonte: Bolg do Fabossi

 

 
   

Grupo Segeti - R. Doutor Olavo Egídio, 812 - Santana - São Paulo / SP - Telefone: (11) 2971-5500 | Design e Otimização por Barutti.com.br